#NO SPOTIFY: MELODRAMA - LORDE

00:16

Quem está se sentindo Melodramático? 😁💙
Finalmente já podemos aposentar Pure Heroine por um tempo, pois a Lorde já lançou material novo para ouvir até os ouvidos sangrarem. Fui longe demais? 
Enfim, como amo trazer novidades musicais não poderia deixar fazer uma crítica do amor sobre esse álbum. 
Lá em 2013, fiz um post sobre a cantora da Nova Zelândia quando o alternativo estava ganhando espaço e popularidade. Quem quiser conferir é só clicar aqui
Apesar de Pure Heroine ser old but gold já podemos falar do novo. 

O primeiro single lançado foi Green Light, confesso que demorei a me acostumar com essa vibe mais animada de Lorde, já que o que mais me encantou na cantora foi a voz prevalecendo e complementando o som e a batida marcante, porém discreta. Aos poucos comecei a adotar a ideia de uma Lorde mais party girl
Então Liability foi lançada e eu só consegui pensar MINHA LORDE ESTÁ DE VOLTA. Com uma letra emocionante, muito fácil de se conectar, ainda é minha favorita do álbum. 
Homemade Dynamite também me conquistou por ser super gostosa de cantar. A batida tem um tom meio retrô e o vocal da Lorde está em coro, o que me fez adorar. Gosto como os vocais são trabalhados com ela. Sempre é diferente e novo. 
A última canção do álbum, Perfect Places. foi uma das que não gostei tanto dentre as carro-chefe do álbum . Mas definitivamente é uma das músicas de se guardar na cabeça. Tem algo chiclete nela, além de ter uma letra com gosto de liberdade. 
 Lorde passou no desafio do segundo álbum! Se ainda havia alguma dúvida de que ela veio para ficar Melodrama botou fim. A cantora provou ser versátil, dançante, e ainda assim manter sua essência. 
Sober se tornou minha favorita de ritmo. The Louvre tem um tom meio HAIM, um trio que amo, e também caiu no meu gosto. Hard Feelings é daquelas que a gente sabe que vai parar na playlist indie de álguem, é uma linda história sobre o fim, quando Lorde disse que seria um álbum sobre um término foi exatamente o que imaginei, Loveless fecha a ideia da canção perfeitamente (ambas são um pot-porri poderoso).
WE TOLD YOU THIS WAS MELODRAMA. Sober ll poderia fechar o álbum, pois tem uma vibe despedida e o vocal no final seria perfeito. Writer in the Dark também tem um pouco do velho álbum, é serena, e com uma boa composição. Supercut foi a que menos me marcou, mas a batida é legal, apesar de não ser nada tão original. E a reprise de Liability que constrói bem o conceito do álbum: uma grande festa, de todos os tipos, desde seu começo ao final, quando todos vão embora. 

Eu definitivamente e infinitamente amei Melodrama. Achei que tem música para todos os gostos. Aumentou o público da Lorde e continuou encantando quem já era fã. Não posso deixar de divulgar aqui para quem quiser conferir e tirar as próprias conclusões. 💙💫

You Might Also Like

2 comentários

  1. Adoro a Lorde! Mas ainda não ouvi esse trabalho novo!
    Beijos, Ana do dia ♥

    ResponderExcluir
  2. ouvi falar dessas musicas novas da lorde mas ainda nao tinha escutado
    nao é mt meu tipo mas achei bem a cara dela msm. melodramatica
    hehehhe
    bjs

    SacheeBombom

    ResponderExcluir

✖ Antes de tudo leia a postagem
✖ Só comente caso tenha algo - em relação ao post - para dizer
✖ Avise quando seguir o blog, é certo de que seguirei de volta
✖ Deixe sempre o link do seu blog no final do comentário para que eu possa retribuir a visita
✖ Aceito TAGs, basta deixar o link da postagem - também no final do comentário
Obrigada pela visita, beijos!

Instagram

Facebook

Twitter

Subscribe