Dormente.

23:42

- Faça algo.
- ...
- Tudo bem, fala sobre o quê você quiser.
- Mas eu não quero falar nada.
- Claro que você quer, você sempre quis.
- Mas agora não quero.
- Então não fale. Escreve. Isso você não pode negar, eu sei que você gosta. Você adora escrever.
- Escrever sobre o quê?
- Sobre qualquer coisa que você esteja sentindo depois de... você sabe.  Depois que você ficou assim, quietinha. Muda. Sem palavras.
- ...
- Por favor, Mariana. Você não é assim. Eu sou assim. Você é aquela que expressa o que está sentindo, e eu sou a que fica muda enquanto alguém faz perguntas para que consiga descobrir o quê está passando.
- ...
- Anda, Mari? O quê você está sentindo? Toma: papel e caneta. Escreve tudo.
- Não tenho nada para escrever.
- É claro que tem! Você é uma escritora, escritores sempre têm algo para escrever.
- No momento eu não tenho nada.
- O quê ele fez de tão diferente dos outros? Ele te magoou? Partiu seu coração? Ah, Mari... Isso acontece sempre. Você sabe. Sempre aconteceu. No fundo você até gosta. Te inspira, certo? Não  era assim que você dizia? Escreve aí. Igual você fez com o Tiago. Lembra do Tiago? De como ele fez você doar todos os seus livros  do Nicholas Sparks porque você "não acreditava mais no amor e esses romances eram todos ilusórios". Você lembra, Mari?
- ...
- É claro que lembra! Você passou a chamar todos os seus ex de Tiago depois disso. Tem até uma coluna no blog, onde você posta textos sobre esses Tiagos. Coloca ele nessa também.
- Não posso.
- Pode me dizer o porquê?
- Ele foi diferente.
- Hm... Diferente é bom, certo? Vai deixar o texto mais original. Ai Mariana mal posso esperar para ler!

- Eu o amava! Eu sabia que amava. Desde o momento em que não consegui escrever sobre ele. Era indescritível! Nunca tinha acontecido antes.
- Eu sinto muito, Mari.
- E eu não sinto nada. Tá diferente.  Tá vazio. Não tem nada. Sempre esteve cheio antes. Era por isso que eu falava. Era por isso que eu escrevia. Era porque tava cheio. Eu tinha que escrever para me despedir, para esvaziar. E agora está tão vazio que parece que nunca esteve cheio antes.
- Entendo. É dormente, Mari. Isso acontece comigo sempre.
- Eu sei.
- É. Você sabe. E eu sempre soube que um dia iria acontecer com você também. Ninguém está imune.
- ...
- Quer doar os livros do Nicholas que ele te comprou?
- Não. Quero comprar os antigos. Que eu doei por causa do Tiago.
- ...
- Está tudo bem. Apesar de todo o torpor, eu acho que o amor é bom. Independentemente disso. Foi bom. Se me deixou sem palavras é porque foi. Eu não consigo escrever sobre isso, acho que é porque só sei escrever quando o amor é ruim. E dessa vez foi bom. Acho que ele me confundiu toda.
- Acho que você saiu da zona de conforto.
- Mas está bem. Foi só um amor, certo? Daqui a pouco volta.

You Might Also Like

23 comentários

  1. Oi, tudo bem?
    Nossa que texto perfeito! Adorei as suas personagens e a conversa delas, escrever sempre ajuda, mas quando não conseguimos escrever.... bem, aí complica. Mas tudo passa, como disse sua personagem: "Foi só um amor, certo? Daqui a pouco volta."
    Beijos... Samantha Culceag.
    Só pra Menores

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Awn muito obrigada :D
      Verdade, pior coisa é ter esse bloqueio quando se tem muito a dizer/escrever.

      Excluir
  2. Oi, Ludmilla!
    Pois é; isso acontece mais do que a gente poderia querer. Por causa de uma decepção, esquecemos toda a nossa fé no amor, acreditamos que tudo é apenas uma fantasia alimentada de ilusões... Até o amor voltar. Mas acada vez que ele tropeça, a história se repete, embora a gente acredite que desta vez tudo é diferente, tudo é pior.
    Acabei me identificando um pouco com a personagem. Quando estou sentindo alguma forte emoção - seja alegria, dor, amor - gosto de expressá-las sempre escrevendo, criando personagens com situações parecidas com as minhas. É, ao mesmo tempo, aliviante e torturante, rsrs.
    Achei incrível a sua escrita. O ritmo que você deu às duas personagens, o tom que você empregou em cada uma - a primeira parece cínica e quase acostumada com o comportamento da outra, a segunda, expressa em sua fala a decepção e a desilusão no amor... Parabéns, espero um dia ler um livro seu!!!

    Adorei o seu blog, estou seguindo! Quando puder, faz uma visitinha lá no meu, ficaria muito feliz em te receber!

    Abraços,
    Diego.

    pecasdeoito.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Diego!
      Fiquei muito feliz com suas palavras, sério. Significaram muito para mim. Muito obrigada!
      Irei retribuir o carinho com toda certeza e com todo prazer.
      Mais uma vez, obrigada.
      Quanto ao livro, estou trabalhando em alguns "algos"... Quem sabe?

      Excluir
  3. Acho que entendo tão bem essa sensação de estar tão vazio que parece nunca ter estado cheio, que fico até meio assustada. Otimo texto!

    La Diabolique - Fan Page

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :(
      Obrigada! E que sua vida tenha mais momentos cheios que vazios.

      Excluir
  4. Gostei do texto, Lu! É legal ver textos/coisas mais pessoais por aqui ;D Senti uma tristeza lendo, gente 'Tá vazio. Não tem nada. Sempre esteve cheio antes... E agora está tão vazio que parece que nunca esteve cheio antes.' EU TO NA LAMA JSDKHFKJDHF Demais, amei, poste textos assim mais vezes! ♥ Beijão!

    www.garotasdemustache.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Midria!
      Awn *-* Muito obrigada! Irei postar sim.
      beijos

      Excluir
  5. Gostei do texto, e da forma em que você escreveu. Como ela diz, "o amor é bom".

    Um beijo <3
    http://dearitgirl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Nós só conseguimos escrever quando nosso coração é partido,certo?Concordo!!!
    E quando é amor mesmo, fica díficil e meio confuso escrever sobre isso!Sei bem como é isso..

    Amei o texto.Você escreve muito bem ^^

    beeijos
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gente que me entende <3
      Obrigada! Volte sempre :D

      Excluir
  7. Eu acho que sou tipo a personagem da história, só consigo escrever quando estou triste ou acontece alguma coisa ruim comigo :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos duas, Erika. Tem muito de mim na Mari :(

      Excluir
  8. Entendo super essa sensação de vazio :/ O texto ficou ótimo viu? Parabens!

    Beijoos, Ana Carolina.
    Simplesglamour.blogspot.com
    Instagram e Twitter: @simplesglamour

    ResponderExcluir
  9. Que lindo o texto. Gostei da forma como você escreveu!
    Beijos | www.doseujeito.tk

    ResponderExcluir
  10. Ainnw que lindo <3 foi bom... haha pq só com o coração partido é mais facil? ficou muito legal essas personagens podia vira um livro hein já pensou dela falando sobre historias tipo essa sobre a vida dela é do blog <333 eu ia querer ler.

    cherrycharming2.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Alana!
      Fico feliz com seu comentário.Estou pensando em dar continuidade nas histórias da Mari, quem sabe uma coluna aqui no blog? Se ela me permitir... haha
      beijos

      Excluir
  11. adoorei o texto, apaixonante !

    Beeijos, ♥

    http://www.paaradateen.com
    http://www.facebook.com/PAARADATEEN
    INSTAGRAM: @luannaandrade_

    ResponderExcluir
  12. Adorei o texto! Muito verdade isso do amor deixar a gente vazia quando vai embora. :/

    http://dudaeilert.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

✖ Antes de tudo leia a postagem
✖ Só comente caso tenha algo - em relação ao post - para dizer
✖ Avise quando seguir o blog, é certo de que seguirei de volta
✖ Deixe sempre o link do seu blog no final do comentário para que eu possa retribuir a visita
✖ Aceito TAGs, basta deixar o link da postagem - também no final do comentário
Obrigada pela visita, beijos!

Instagram

Facebook

Twitter

Subscribe